permanece, / Lubi Prates

Esta plaquete de Lubi Prates reúne dez poemas sobre a experiência de um corpo que resiste, permanece, persiste. O tempo da memória e da elaboração do vivido proporciona a formulação de uma poética ao mesmo tempo corporal e geográfica.

Corpo e território se comunicam, em uma aproximação que perfaz uma cartografia particular. Como dizem as poetas Ana Rüsche e Viviane Nogueira, no posfácio ao livro, "Em permanece, o corpo negro de sensação continental diaspórica que outrora nos foi apresentado se afirma como um corpo que ama".

É um conjunto de poemas sobre o amor e sobre como amor, ancestralidade, política e poesia se coadunam.

Um dos poemas, escrito em inglês e espanhol, "I love a black man", alia o tema da ausência do ser amado à dimensão política de uma existência ameaçada. O poema fala de um "ritual diário" de recomendações e de cuidado com o corpo amado: "não esqueça o seu documento de identidade, não esqueça o seu green card ("everyday / when he leaves home /what i say is: / don't forget your ID, don't forget your passaport / don't forget your greencard").

Outros poemas, como "hasta aquí, hasta llegar a mí" e "este lugar não é mais sobre você" trazem essa dicção que combina diferentes línguas, países, continentes. Além disso, os poemas falam de uma busca permanente,  e o tema da ausência e da procura do outro ganha destaque.

O livro teve uma primeira edição feita pela nosotros, editorial. A edição da Quelônio mantém o projeto gráfico original, de Bruno Palma e Silva, mas agora com nova capa, feita na Tipografia Quelônio com design de Sílvia Nastari.

 

  • permanece

    Lubi Prates
    Gênero: poesia
    Capa: Sílvia Nastari
    Projeto gráfico: Bruno Palma e Silva
    Isbn: 978-85-93229-56-5
    15x20cm
    28pp.

R$30.00Preço